Pão de Açúcar visto da entrada da Praia do Anel / Foto: Adriana Vidal

Pão de Açúcar visto da entrada da Praia do Anel / Foto: Adriana Vidal

 

Por Claudine Varela

 

A cidade do Rio de Janeiro tem inúmeras atrações turísticas, que vão desde os famosos Pão-de-Açúcar e o Cristo Redentor, misturando o relevo natural à construção humana, à boemia da Lapa e ao Carnaval, que dispensa apresentações. No meio desse percurso ainda há o réveillon, com o famoso espetáculo de fogos em Copacabana.

E é de lá, mesmo, de Copacabana, que pegamos um barco e ele, com sorte e boas condições meteorológicas, nos leva a um cantinho dessa Cidade Maravilhosa, que, possível, não, provavelmente, muitos cariocas desconhecem.

Imagem: Google Maps

Entrando na praia pela Colônia de Pescadores Z 13, no Posto 6, na direção ao Clube Marimbás e abaixo do muro que separa da areia o Batalhão do Corpo de Bombeiros, chegamos a um “estacionamento” de canoas. Em uma delas é que embarcamos rumo à Urca. Vamos 24 pessoas, experientes e iniciantes, guiadas pelos capitães de cada barco.

A ida, que atravessa Copacabana inteira e de onde se vê a praia por outro ângulo, do mar para a areia, já é, no mínimo, diferente do habitual, mas quando nos aproximamos da volta da Encosta do Leme, com a Ilha da Cotunduba do outro lado, por um momento a interferência humana na paisagem consegue ficar em suspenso. É possível imaginar o que viram os navegantes naquela época do “descobrimento”. Só isso já poderia valer o passeio e o esforço – Afinal, são uns bons quilômetros remando… –, mas, lá está ela, a nossa espera, a Praia do Anel.

Tranquila, com uma pedra linda, onde se pode navegar em volta. Um recanto quase intocado. Ele faz parte de um Conjunto Natural que também abrange a Pedra do Leme, o Morro do Urubu e a Ilha da Cotunduba. O conjunto completo foi declarado, pelo Município do Rio de Janeiro, Área de Proteção Ambiental, em 1990 (Decreto 9779, de 12 de novembro de 1990).  Como fica em uma enseada composta por morros (Além de ficar na volta do Costão do Leme, do outro lado vemos o Morro da Urca e o Pão-de-Açúcar), a praia fica bastante tempo protegida do sol e é desenhada por pedras, não pela areia à qual estamos habituados. Na água, um mergulho com óculos ou snorkel vale a pena, pois a fauna marinha se apresenta com peixes e tartarugas.

Imagem de cartão postal antigo do Rio de Janeiro com vista da Praia do Anel para o Pão de Açúcar

Também se chega à Praia do Anel por trilha e, para os que ficaram com vontade de conhecer o local, mas não querem chegar lá cansados e suados, há a opção dos serviços de barcos turísticos, que costumam fazer passeios pelo litoral da cidade.

 

https://leismunicipais.com.br/a/rj/r/rio-de-janeiro/decreto/1990/977/9779/decreto-n-9779-1990-declara-area-de-protecao-ambiental-o-conjunto-natural-constituido-pelo-morro-do-leme-ou-pedra-do-leme-morro-do-urubu-pedra-do-anel-praia-do-anel-e-ilha-da-cotunduba-situados-nos-bairros-da-urca-e-do-leme

 

https://rio-curioso.blogspot.com/2010/09/praia-e-pedra-do-anel.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *