O inverno chegou e com ela a piora das alergias

O inverno chegou e para quem é alérgico os sintomas ficam piores ainda.

Algumas pessoas até brincam falando que tem tudo que é “ite”, mas hoje vamos falar da Rinite.

A rinite é caracterizada por sintomas nasais como obstrução, coriza, espirros, coceira ou alterações do olfato, geralmente durando por mais de uma hora, dois ou mais dias consecutivos.

Podemos classificar as rinites como agudas, quando os sintomas duram entre sete a dez dias.

E crônicas, quando os sintomas persistem por mais de três meses.

A rinite é uma inflamação da mucosa do nariz e pode ter várias causas, podendo ser desencadeado ou agravada pela exposição a microorganismo como vírus, bactérias ou alérgenos que ficam livres no ar e penetram pelo epitélio respiratório.

Os mais comuns são os ácaros da poeira, de baratas, de fungos, pelos, saliva e urina de animais domésticos, alimentos, alterações hormonais durante o ciclo menstrual, puberdade, gravidez, menopausa, assim como alterações endócrinas como hipotireoidismo.

A Academia Europeia de Alergia e Imunologia classifica a rinite por quatro subgrupos:

Rinite Infecciosas: É o tipo mais comum de rinite. Esse tipo é causado por vírus ou bactérias.

Rinite Alérgica: É uma reação imunológica do corpo a partículas inaladas que são consideradas estranhas, essas  substâncias são chamadas de alérgenos.

Rinite não alérgica: É uma condição que causa espirros crônicos, congestão ou corrimento nasal.

Rinite Mista: Caracteriza com mais de um agente causador, podendo ser ocasionada por bactérias e vírus ao mesmo tempo.

Nos casos agudos, quando se tem a piora dos sintomas é muito importante procurar uma ajuda médica.

A rinite aguda causada  por questões irritantes ou hormonais, é curada com tratamento.

Já a rinite persistente alérgica ou não alérgica não possui cura.

Porém, o tratamento consegue reduzir a frequência e intensidade dos sintomas.

Na maioria dos casos, o tratamento consegue manter o paciente assintomático e sem alterações da qualidade de vida.

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, além da dosagem correta e duração do tratamento. Siga sempre as orientações do seu médico e nunca se automedique.

Importante não interromper o uso do medicamento sem consultar o seu médico antes.

Mas para quem não gosta de tomar remédios e prefere tratamentos mais alternativos, a homeopatia é uma boa opção.

A grande vantagem da homeopatia é que, após o diagnóstico, é possível individualizar o tratamento, de acordo com as características específicas do paciente.

Outras vantagens do tratamento homeopático são medicamentos isentos de efeitos colaterais e eficácia comprovada.

Um estudo feito dos Goossens en al, avaliou a qualidade de vida de pacientes com rinite alérgica sazonal após o tratamento homeopático e os resultados foram pacientes com alívio dos sintomas.

Moral da história, os resultados comprovam os benefícios do tratamento homeopático em reduzir os sintomas e melhorar a qualidade de vida em pacientes com rinite alérgica sazonal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.