Catete: um bairro apaixonante repleto de história, tradição, charme e alegria!

Foto internet

O Catete é um dos bairros mais tradicionais do Município do Rio de Janeiro. Tradicional e histórico, o bairro já sediou a presidência da república brasileira, que ficava localizada no Palácio do Catete (tombado pelo patrimônio público; hoje um museu e o principal monumento do bairro). Assim como os bairros próximos de Glória e Santa Teresa, era um dos bairros mais valorizados da cidade no passado. Possui forte comércio e muitos sobrados construídos no final do século XIX e início do século XX, no período da belle époque carioca.

O nome do bairro é uma referência à principal rua do bairro, a Rua do Catete. Essa rua, por sua vez, adquiriu seu nome devido ao rio que, antigamente, corria paralelo à rua: o Rio Catete. “Catete” é um termo da língua tupi que significa “mata imensa”, pela junção de ka’a (mata) e eté-eté (imenso). “Catete” também designa uma variedade de milho miúdo.

O Caminho do Catete, hoje Rua do Catete, já existia antes da chegada dos portugueses e franceses no Rio de Janeiro, pois relatos muito antigos descrevendo as batalhas entre Portugal e França na região já se referiam ao Caminho do Catete de uma maneira corriqueira. O local era habitado pelos índios tamoios da aldeia Uruçumirim (uruçu=abelha; mirim=pequeno), chefiada por Biraçu Merin.

É certo, também, que, junto ao Caminho do Catete, havia um braço do Rio Carioca, rio este que nasce no morro do Corcovado (onde fica, atualmente, a estátua do Cristo Redentor) e desce pelo bairro das Laranjeiras, chegando onde hoje é o Largo do Machado e a Praça José de Alencar, onde formava a Lagoa do Suruí e de onde começava o Rio Catete, que corria paralelo ao Caminho do Catete. O rio ficava do lado esquerdo do então Caminho do Catete para quem vai para a Zona Sul. O rio foi, posteriormente, aterrado, mas o Caminho do Catete continuou. O Rio Catete desembocava na Praia do Russel, que foi completamente aterrada por ocasião de obras: primeiro, a abertura da Avenida Beira-mar e, depois, as obras para a construção do Parque Brigadeiro Eduardo Gomes.

O bairro conta com dois cinemas: o Cine São Luiz e o Espaço República. É onde se encontra o Teatro Cacilda Becker. Abrigou o Espaço Marun, que ocasionalmente funcionava para shows e peças, encerrou suas atividades em Dezembro de 2016. Quanto à gastronomia, o Catete possui inúmeros restaurantes localizados em imóveis tombados. Possui restaurantes desde os mais caros e refinados até casas de suco e lanchonetes de comida rápida.

O bairro serviu de cenário para a telenovela Duas Vidas, onde foi ambientada em grande parte e exibida pela Rede Globo entre 1976 e 1977. Também no bairro, foram gravadas algumas cenas da telenovela Vale Tudo, em 1988. Foi também cenário para o primeiro episódio da série da Rede Globo ”As Cariocas”. O episódio teve, como título, “A noiva do Catete”. Foi protagonizado por Alinne Moraes, Ângelo Antônio e Pedro Nercessian e exibido no dia 19 de outubro de 2010. No Palácio do Catete, foram gravadas cenas da minissérie global Agosto, exibida em 1993 e que retratava ao fundo, os turbulentos últimos dias do Governo Vargas no ano de 1954.

E é no Catete onde está a nossa Pop Rio, emissora de Rádio Comunitária na Frequência Modulada 98,7 MHz . O projeto entrou no ar em meados de 2015 e segue no ar até então sob o nome de “Rádio Pop Rio FM” (Situada na Rua Silveira Martins,153 dentro das instalações do tradicional colégio e Faculdade Pinheiro Guimarães). Mais uma razão para amar nosso bairro!

Por João Marcelo Barbosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *