Bicicletas se tornam preferência na mobilidade urbana

Bikes disponíveis na Estação do Catete

 

Fomentado e colocado em prática pela empresa privada, Tembici, e de iniciativa da Prefeitura do Rio de Janeiro, a Bike Rio, o sistema de bicicletas compartilhadas, surgiu na cidade do Rio de Janeiro em meados de outubro de 2011. E de lá pra cá ela se tornou preferência na questão de mobilidade urbana, e para estimular os exercícios físicos ao ar livre.

As laranjinhas mecânicas, como são chamadas caridosamente, é o serviço de bicicletas compartilhadas que está espalhado pelas principais capitais do Brasil, e na cidade do Rio de Janeiro possui mais de 300 estações distribuídas por vários bairros da zona sul, norte e centro.

No auge da pandemia do COVID19, onde o afastamento social foi necessário e obrigatório para conter a doença, as bikes tiveram uma grande importância para as pessoas que precisavam fazer entregas de mercadorias e alimentos. Os entregadores de aplicativos usaram com bastante afinco o serviço de bicicletas compartilhadas para executar suas tarefas.

O hábito de pedalar de bicicleta se tornou mais frequente com a praticidade de ter o serviço ao alcance das pessoas. Além do custo mais em conta para o bolso, isso se for avaliar em relação a outros meios de transportes disponíveis, se tornou um aliado para a saúde das pessoas que praticam as pedaladas.

A cerca de um ano, o sistema de bikes compartilhadas deu um Upgrade no serviço, com a implementação das bicicletas elétricas. As motorizadas estão disponíveis também nas estações da Bike Rio e chegaram para dar ainda mais dinamismo as corridas, com isso o aumento nos números das corridas efetuadas entre os ciclistas ficou bastante expressivo.

Ultimamente as estações e as bikes fazem parte do mobiliário urbano da cidade. Todo instante podemos presenciar pessoas para lá e para cá em cima das bicicletas, uns a trabalho, outros a passeio, e outros praticando exercícios físicos com elas. Cada vez mais se torna essencial para que as pessoas se movimentem dentro das cidades.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.