Anvisa nega pedido de importação da vacina Sputnik V e cerca de 29,6 milhões de aplicações deixarão de ser realizadas

Imagem da internet

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) rejeitou nesta segunda-feira, 24, os pedidos de importação da vacina russa contra Covid-19 Sputnik V, do Instituto Gamaleya, realizados por dez estados brasileiros: Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Sergipe e Tocantins. Os municípios fluminenses de Maricá e Niterói também tinham a expectativa de receber o imunizante. 

A decisão, unânime,  se baseia em pareceres técnicos sobre falhas em etapas de produção e análise de segurança do imunizante. Segundo os técnicos, houve uma falha na estratégia do controle de qualidade do imunizante, que há “limitações” na vacina e dados inconsistentes em relação à substância e que, com base nos dados apresentados até o momento, o risco inerente à fabricação não é possível de ser superado.

A Sputnik V já recebeu autorização de uso emergencial ou teve seu registro definitivo concedido em mais 60 países, entre eles Angola, Argentina, Bolívia, Camarões, Egito, Emirados Árabes, Hungria, Iraque, Paraguai e Venezuela.

Agora o Distrito Federal e estados integrantes do consórcio aguardam decisão do STF para reavaliar compra da vacina.

Por João Marcelo Barbosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *