Alô, Rio. Alô, Prefeito #1

Os desafios da Cidade do Rio de Janeiro em uma série semanal de matérias. Para o primeiro episódio: A violência urbana.

Criança observa soldado durante período da intervenção militar, em 2018.

Por Luis Cesar Pereira

Antes de apresentar o problema, é preciso esclarecer o tamanho do impacto da violência no Rio hoje: Dados recentes do ISP- Instituto de Segurança Pública montaram que o número de roubos de rua, por exemplo, tiveram em março de 2020 um decréscimo de 52% na comparação com o mesmo período do ano passado.

É claro que a Pandemia do novo Coronavírus auxiliou nos números: Com o isolamento social, menos gente nas ruas, o que leva a menos casos de furto e roubos. Mas não é só: Uma proibição do STF – Superior Tribunal Federal, proibiu incursões militares em comunidades, salva guarda situações em que a polícia precise revidar. Um momento excepcional para todos.

No que diz respeito a homicídios, números ainda melhores: O total de casos foi o mais baixo dos últimos 30 anos, quando se iniciou a série histórica. 2.153 pessoas perderam a vida nos primeiros meses deste ano, menor índice para o período desde 1991. Todas as regiões tiveram queda no número de mortes, com destaque para a grande Niterói e Baixada Fluminense- Redução de 18% para cada uma.

Menos tiroteios e disparos de armas de fogo também ocorreram na região metropolitana durante os cinco primeiros meses da quarentena. Informa a plataforma Fogo Cruzado. Redução de 42% em relação ao mesmo período do ano passado. Diminuição também no roubo de cargas e violência policial. Dados para se comemorar.

  1. No entanto, a situação ainda é desafiadora. O avanço das milícias é cada vez mais notório em regiões da Zona Norte- Praça Seca e redondezas. O Tráfico também consolidou seu domínio em diversas regiões da Baixada- Belford Roxo- onde cada vez mais barricadas são erguidas e a polícia não entra. Milícia, Tráfico, Polícia corrupta. Desafio também para as prefeituras desses locais. Os problemas estão aí há anos e são um dos pilares mais problemáticos da Cidade do Rio de Janeiro e do atual prefeito Marcelo Crivella, que busca a reeleição.

Esse que vos escreve terá a intenção de trazer semanalmente um problema crônico para o próximo prefeito ou prefeita do Rio resolver. O próximo assunto a ser abordado será a questão dos transportes. Até mais!

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*